sábado, 13 de agosto de 2011

A LIÇÃO MAIOR

Diante de milhares de Espíritos deslumbrados, a preleção terminou...
A assembléia, constituída na maioria por entidades sofredoras da Terra, estacara, em
suspenso, no vasto recôncavo do Espaço.
Assombro, alegria, emoção...
É que falara o grande cartaginês Aurélio agostinho, venerado no Cristianismo como figura
das mais elevadas na História.
Nimbado de intensa luminosidade, comovera ele a multidão, na categoria de emissário da
Esfera Superior.
Desencarnados de vários países cristãos ali se a.juntavam para ouvi-lo. Antigos, professores
de Hipona e Tagasta, Madaura e Milão, experimentados em muitas reencarnações,
partilhavam-lhe o séqüito.
Comentava-se em grupos diversos a sublime condição do orador. Diziam muitos amigos que
o grande pregoeiro do Evangelho transcendera a Humanidade Terrestre, ao que outros
respondiam sabê-lo na intimidade de gênios soberanos, integrados na evolução de outros
sistemas e outras esferas.

Guerreiros cuja mente se fatigava para anular a lembrança da espada, ricos empobrecidos
de ouro e remediados de consolação, mulheres cansadas de mentira e almas numerosas,
em dolorido abatimento, haviam recebido a palavra da Boa Nova, qual se esta fosse um
néctar divino... Todos os presentes exibiam singular metamorfose, como se a luz interior do
coração se lhes estampasse no semblante transfigurado, entremostrando aspirações novas,
dando a idéia de quem sacava ao futuro energias diferentes para a batalha da própria
regeneração, e o pranto copioso, aqui e ali, destacava, decerto, votos íntimos, profundos...
Preparava-se o orador à retirada, quando recebeu o toque de alguém, recém-vindo da Terra.
Era um homem que ainda trazia as marcas de recente liberação do corpo físico.
Fitando os olhos do mensageiro que o abençoava, caiu em reverência e rogou:
– Grande apóstolo de Nosso Senhor Jesus Cristo! Dos sessenta anos que vivi entre as
criaturas humanas, quarenta dediquei ao estudo de vossa vida! Procuro-vos, desde muito,
com ardente afeição... Agora que vos encontro, peço recebais o testemunho de meu apreço,
e permiti, ó embaixador da Bondade Divina, algo vos pergunte na minha prece de respeitosa
admiração!... Alçado agora à munificência da Altura, vós que desfrutais a convivência dos
assessores do Cristo e que acompanhais a marcha de quinze séculos de Cristianismo,
assinalados desde a vossa conversão ao Evangelho, que revelação mais alta tendes hoje a
proporcionar-nos? Vós que conheceis presentemente outros mundos, que devassais novos
segredos cósmicos, que sabeis olhar com entendimento e compaixão para as nossas almas
e que desempenhais, com honra, a função de arauto das eternas verdades, dizei-nos qual a
lição que considerais a mais nobre, em vossa triunfante jornada de Espírito?
O antigo lidador cartaginês, sensibilizado, afagando a cabeça trêmula do companheiro que
perguntava, respondeu, bondoso :
Meu filho, a mensagem maior em toda parte, como sempre, é a grandeza de Deus que
envolve o Universo. As constelações remotas estendem-lhe o poder. Os sóis que nos
influenciam de perto proclamam-lhe o esplendor. Os mundos que conseguimos pisar
demonstram-lhe a paternal solicitude. Flores e gotas dágua são notícias de seu infinito
amor... Todos os fenômenos da vida dizem algo de sua glória oculta. No entanto, o
ensinamento mais alto que recebi até agora, no âmago da consciência, é aquele de minha
própria transformação... Contado entre os maiores devassos e criminosos da Terra, pude
entrar, pela abnegação de Jesus - Cristo, o fiador de nossas almas, em minha própria
restauração, na trilha de serviço que continuo a palmilhar.
O consulente baixou o rosto, ante a humildade do mensageiro.
E enquanto o grande mentor se afastava, cercado de amigos, a explicação ecoou, no imenso
vale dos pecadores desencarnados, como sopro renovador de alegria e esperança...