segunda-feira, 1 de agosto de 2011

MUDANÇA E PROVEITO

“... assim também andemos nós em novidade de vida.”
Paulo. (Romanos, 6:4.)
 Criaturas existem que se confessam dedicadas ao espírito de mudança que a vida
exige de cada um, e tão somente por se referirem a isso alteram obrigações assumidas,
logo ao se sentirem incomodadas por singelos motivos de feição pessoal.
Mal começam ação determinada, ou em meio da empresa edificante a que se
consagraram, se experimentam o impacto de pequeninos contratempos, asseveram que é
preciso mudar para progredir, relegando a outrem problemas e encargos que lhes
competem.
Renovação não é alterar o caminho, porque estejamos sob as conseqüências de
ajustes e decisões abraçados por nós mesmos, com vistas à nossa melhoria espiritual;
muito mais que isso, é aceitar varonilmente as ocorrências adversas, os golpes da
estrada, os desafios da prova e as crises da existência, procurando servir mais e
melhor no plano de evolução e trabalho em que a providência divina nos colocou.
Transformação permanente por dentro, metamorfose da alma que encerra consigo
bastante poder para transfigurar dificuldade em lição e sombra em luz.
Reformemos sentimentos Idéias, observação, expressão e discernimento,
descerrando portas e janelas sempre novas em nosso mundo íntimo, para que a vida nos
acrescente os recursos de conhecimento, receptividade, visão e interpretação - mas
sejamos fiéis aos nossos compromissos até ao fim.