sábado, 17 de março de 2012

IDEAL E AÇÃO

Evidentemente, é preciso considerar o valor da reencarnação para que lhe
assimilemos os benefícios.
Cientes de que o corpo é comparável à cela de recuperação, ao avental de
serviço ou à carteira de estudo, é forçoso observarmos a importância do tempo,
adotando diligência na obrigação a cumprir por norma de ação, nas atividades de cada
dia.
Que seria do enfermo, se uma pessoa querida, a pretexto de poupar-lhe
dissabores, tomasse por ele os remédios desagradáveis que lhe são imprescindíveis? Do
aluno que relegasse aos amigos mais cultos da escola a execução das provas que lhe
cabem, sob a desculpa de haver encontrado afeição e favor? Eis porque, na esfera de
todas as experiências - mormente no campo das experiências humanas - somos
induzidos a esperar do Senhor, com as dádivas da saúde e do trabalho, da orientação e
da alegria, a força indispensável para a desincumbência dos encargos que as
circunstâncias nos assinalam.
Sublime é a caridade, mas, se não temos disposição a fim de praticá-la, a
virtude preciosa não passará de um ideal do Céu, incapaz de pousar na Terra.
Divina é a humildade; entretanto, se nos falha a decisão de sofrer com
paciência, limitar-se-á ela a propósito brilhante e inútil, de vez que não se nos irradia do
peito.
Assim também a fé, a bondade a tolerância... Sem firmeza de ânimo que as
expresse, serão apenas sonhos que se esfumam, sem nenhum nexo com a realidade.
A isso nos referimos para dizer que tanto nos problemas terrestres, quanto nos
outros do Mundo Espiritual, necessitamos rogar a Deus os instrumentos indispensáveis as
conquistas de compreensão e segurança, progresso e harmonia que o Seu Infinito Amor
nos endereça pelas bênçãos da vida; entretanto, é imperioso pedir algo mais... Urge
suplicar a ele, o Todo-Misericordioso, nos conceda a coragem de viver, sabendo viver.