segunda-feira, 9 de abril de 2012

DEUS VIRÁ

Não esmoreças sob o fardo das provações e nem te desanimes na bruma das
lágrimas.
Nas horas mais difíceis da senda terrestre, recorda que Deus virá em nosso
auxílio.
Ouvirás quem te fale dos triunfos retumbantes do mal, convidando-te à
cessação de qualquer esforço no bem, sob o pretexto de que o mal se acha escorado
pelas enormes legiões daqueles que lhe auferem as vantagens de superfície. Não
discutas. Servirás incessantemente ao bem comum, na certeza de que Deus virá pelas
vias do tempo, repor os bons no lugar justo.
Assinalarás a presença daqueles que te fazem sentir que os desentendimentos
do mundo não se coadunam com o trabalho da paz, com a desculpa de que o homem
tem necessidade da guerra como imperativo da evolução. Não discutas. Darás todo o
apoio à sustentação da concórdia, onde estejas, consciente de que Deus virá, pelas vias
do tempo, estabelecer a solidariedade perfeita entre as nações.
Escutarás longas dissertações, acerca da deterioração dos costumes, inclinandote
a descrer da dignidade social. Não discutas. Serás fiel no respeito a ti mesmo e não te
retirarás do dever retamente cumprido, na convicção de que Deus virá, pelas vias do
tempo, reajustar os setores convulsionados da comunidade humana, recolocando cada
um deles em caminha certo.
Muitas vezes, na própria trilha pessoal, amargos vaticínios te procurarão da
parte de muitos companheiros, tentando fixar-te o campo mental nas mais escabrosas
questões da caminhada do dia-dia... Ouviremos referências inquietantes em torno de
compromissos que tenhamos abraçado, de pessoas a quem nos afeiçoamos, de
instituições a que oferecemos o melhor conteúdo de nossas aspirações para a vida mais
alta... Respeitemos a todos os informantes amigos que nos solicitem a atenção para a
influência do mal e, tanta quanto nos seja possível, cooperemos com eles na extinção do
mal; entretanto, guardemos o coração invariàvelmente na túnica luminosa da esperança,
orando e trabalhando, vigiando e servindo, convencidos de que Deus, cuja infinita
bondade nos sustentou ontem e nos sustenta hoje, sustentar-nos-á igualmente amanhã.
Sejam quais forem as aflições e desafios da estrada, nunca te deixes intimidar
pela farsa das trevas e faze brilhar no próprio coração a mensagem inarticulada do amor
eterno que a luz dos céus abertos te anuncia, cada manhã, de horizonte a horizonte :
“Deus virá”.