terça-feira, 8 de maio de 2012

PROVAÇÕES E ORAÇÕES

Referimo-nos, muitas vezes, às circunstâncias difíceis, como sendo óbices
insuperáveis, trazidos por forças cegas do destino, arrasando- nos a coragem e a alegria
de viver, simplesmente porque, em certas ocasiões, as nossas súplicas ao Céu não
adquiriram respostas favoráveis e prontas. Outro, porém, ser-nos-á o ponto de vista, se
considerarmos que os acontecimentos críticos são carreados até nós pelos recursos
inteligentes da vida, certificando-nos a capacidade de auto-superação.
Imaginemos o desmantelo e a desordem que levariam no mundo se todos os
nossos desejos fossem imediatamente atendidos. Por outro lado, analisemos a
mutabilidade de nossas situações e disposições, e verificaremos que muitas das
providências solicitadas por nós ao Suprimento
Divino, quando concedidas, em muitos casos, já nos encontram em outras faixas
de petição.
Daí, o caráter ilícito de nossas queixas, quando alegamos que o Senhor nem
sempre nos ouve nos dias de angústia.
Hoje, queremos isso ou aquilo, amanhã já não queremos aquilo ou isso.
Disputamos a posse de objeto determinado e passamos a desinteressar- nos da
concessão, depois de obtida.
Como esperar que a Divina Misericórdia nos suprima o amparo ou o remédio, o
socorro ou a lição, se as horas difíceis são os instrumentos de que carecemos para que se
nos sulque convenientemente o espírito para as tarefas do necessário burilamento?
Se provações constrangedoras te alcançam a estrada, não te permitas a
omissão da luta, através de fuga ou desânimo. Persevera trabalhando na
área em que te afligem, na certeza de que são fatores de promoção a te
elevarem de nível.
Tolera as condições desfavoráveis que te respondem na senda de cada dia, pois,
se as aceitas, servindo e construindo, para logo observares que o amparo do Alto te
sustenta na travessia de todas elas, porque em nenhum lugar e em tempo algum
estaremos separados de Deus.

Alma e Coração/Emmanuel/FCX