terça-feira, 15 de maio de 2012

SERVIÇO A QUEM SERVE


Beneficência pouco lembrada, – aquela que devemos aos que nos beneficiam.
Quantas vezes nos será possível realizar prodígios de amor simplesmente
moderando estados de impaciência ou de angústia!
Dentro do lar, medita na importância do teu sorriso para o anjo materno que se
esfalfa em atender-te e no valor de tua tranqüilidade para o coração paternal que tudo
daria para ver-te feliz! No grupo de trabalho, considera a importância de tua paz, em
favor dos companheiros de equipe, a fim de que funcionem com eficiência e harmonia,
nas engrenagens da ação. Nas empresas do bem, pondera quanto ao imperativo das tuas
atitudes de solidariedade e compreensão, em apoio dos irmãos chamados a graves
tarefas, na direção ou na subalternidade, de modo a garantirem as boas obras.
Em muitas ocasiões, de uma simples frase de afeto jorram fontes de alegria
para legiões de pessoas.
Por isso mesmo, igualmente nas horas obscuras de doença e prostração, pensa
no alto sentido de tua serenidade em socorro dos entes queridos que te rodeiam.
Ampara o médico que te ampara, oferecendo-lhe clima ao tratamento preciso.
Auxilia aos enfermeiros que te auxiliam para que te escorem com segurança, sem
atropelos inúteis.
Todos temos problemas a resolver, mas todos somos concitados pela sabedoria
da vida a doar calma e cooperação, paz e felicidade aos outros, para que os outros nos
ajudem na solução de nossos próprios enigmas.
Todos carecemos de alguma causa, porém, é indispensável convir que para
receber é preciso dar.
Em síntese, ninguém há que não reclame o serviço de alguém, no entanto, é
imperioso ajudar e servir aos que nos servem, a fim de que eles nos possam mais
amplamente entender e auxiliar.

Alma e Coração/Emmanuel/FXC