sábado, 10 de novembro de 2012

No reino interior

“Sigamos, pois, as coisas que contribuem para a paz e
para a edificação de uns para com os outros.”
Paulo (Romanos, 14:19)

Não podemos esperar, por enquanto, que o Evangelho de Jesus obtenha
vitória imediata no espírito dos povos. A influência dele é manifesta no mundo, em
todas as coletividades; entretanto, em nos referindo às massas humanas, somos
compelidos a verificar que toda transformação é vagarosa e difícil.
Não acontece o mesmo, porém, na esfera particular do discípulo.
Cada espírito possui o seu reino de sentimentos e raciocínios, ações e
reações, possibilidades e tendências, pensamentos e criações.
Nesse plano, o ensino evangélico pode exteriorizarse
em obras imediatas.
Bastará que o aprendiz se afeiçoe ao Mestre.
Enquanto o trabalhador espia questões do mundo externo, o serviço estará
perturbado. De igual maneira, se o discípulo não atende às diretrizes que servem à
paz edificante, no lugar onde permanece, e se não aproveita os recursos em mão para
concretizar a verdadeira fraternidade, seu reino interno estará dividido e
atormentado, sob a tormenta forte.
Não nos entreguemos, portanto, ao desequilíbrio de forças em homenagens
ao mal, através de comentários alusivos à deficiência de muitos dos nossos irmãos,
cujo barco ainda não aportou à praia do justo entendimento.
O caminho é infinito e o Pai vela por todos.
Auxiliemos e edifiquemos.
Se és discípulo do Senhor, aproveita a oportunidade na construção do bem.
Semeando paz, colherás harmonia; santificando as horas com o Cristo, jamais
conhecerás o desamparo.