quinta-feira, 12 de abril de 2012

Bíblia e Evangelho

A Bíblia (que o nome quer dizer simplesmente: O Livro) é
na verdade uma biblioteca, reunindo os livros diversos da religião
hebraica. Representa a codificação da primeira revelação do ciclo
do Cristianismo. Livros escritos por vários autores estão nela
colecionados, em número de 42. Foram todos escritos em hebraico
e aramaico e traduzidos mais tarde para o latim, por São Jerônimo,
na conhecida Vulgata Latina, no século quinto da nossa era.
As igrejas católicas e protestantes reuniram a esse livro os Evangelhos
de Jesus, dando a estes o nome geral de Novo Testamento.
O Evangelho, como se costuma designar o Novo Testamento,
não pertence de fato à Bíblia. É outro livro, escrito muito mais
tarde, com a reunião dos vários escritos sobre Jesus e seus ensinos.
O Evangelho é a codificação da segunda revelação cristã.
Traz uma nova mensagem, substituindo o deus-guerreiro da Bíblia

pelo deus-amor do Sermão da Montanha. No Espiritismo não
devemos confundir esses dois livros, mas devemos reconhecer a
linha histórica e profética, a linhagem espiritual que os liga. São,
portanto, dois livros distintos.


 O Espiritismo
 A antiga religião hebraica é geralmente conhecida como
Mosaísmo, porque surgiu e se desenvolveu com Moisés. A nova
religião dos Evangelhos é designada como Cristianismo, porque
vem do ensino do Cristo. Mas, assim como nas páginas da Bíblia
lado o advento do Cristo, também nas páginas do Evangelho está anunciado o
advento do Espírito de Verdade. Este advento se deu no século
passado, com a terceira e última revelação cristã, chamada revelação
espírita. Cinco novos livros aparecem, então, escritos por
Kardec, mas ditados, inspirados e orientados pelo Espírito de
Verdade e outros Espíritos Superiores. Os cinco livros fundamentais
do Espiritismo, que têm como base O Livro dos Espíritos,
representam a codificação da terceira revelação. Essa revelação se
chama Espiritismo porque foi dada pelos Espíritos. Sua finalidade
é esclarecer os ensinos anteriores, de acordo com a mentalidade
moderna, já suficientemente arejada e evoluída para entender as
alegorias e símbolos contidos na Bíblia e no Evangelho. Mas
enganam-se os que pensam que a Codificação do Espiritismo
contraria ou reforma o Evangelho.