quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

PALAVRAS DA VIDA ETERNA

                                   "Tu tens as palavras da vida eterna." – Simão Pedro. (JOÃO. 6:68.)


Rodeiam-te as palavras, em todas as fases da luta e em todos os
ângulos do caminho.
Frases respeitáveis que se referem aos teus deveres.
Verbo amigo trazido por dedicações que te reanimam e consolam.
Opiniões acerca de assuntos que te não dizem respeito.
Sugestões de variadas origens.
Preleções valiosas.
Discursos vazios que os teus ouvidos lançam ao vento.
Palavras faladas... palavras escritas...
Dentre as expressões verbalistas articuladas ou silenciosas, junto das
quais a tua mente se desenvolve, encontrarás, porém, as palavras da
vida eterna.
Guarda teu coração à escuta.
Nascem do amor insondável do Cristo, como a água pura do seio
imenso da Terra.
Muitas vezes te manténs despercebido e não lhes assinalas o aviso, o
cântico, a lição e a beleza.
Vigia no mundo, isolado de ti mesmo, para que lhes não percas o
sabor e a claridade.
Exortam-te a considerar a grandeza de Deus e a viver de
conformidade com as Suas Leis.
Referem-se ao Planeta como sendo nosso lar e à Humanidade como
sendo a nossa família.
Revelam no amor o laço que nos une a todos.
Indicam no trabalho o nosso roteiro de evolução e aperfeiçoamento.
Descerram os horizontes divinos da vida e ensinam-nos a levantar os
olhos para o mais alto e para o mais além.
"Palavras, palavras, palavras..."
Esquece aquelas que te incitam à inutilidade, aproveita quantas te
mostram as obrigações justas e te ensinam a engrandecer a
existência, mas não olvides as frases que te acordam para a luz e
para o bem; elas podem penetrar o nosso coração, através de um
amigo, de uma carta, de uma página ou de um livro, mas, no fundo,
procedem sempre de Jesus, o Divino Amigo das Criaturas.
Retém contigo as palavras da vida eterna, porque são as
santificadoras do espírito, na experiência de cada dia, e, sobretudo, o
nosso seguro apoio mental nas horas difíceis das grandes
renovações.