quinta-feira, 22 de março de 2012

APOIO ESPIRITUAL

Compartilhamos, em nome da beneficência, de recursos vários, como sejam - a
moeda e o agasalho, o teto e a mesa.
Uma dádiva, porém, existe de que todos necessitamos no câmbio da
fraternidade: a dádiva do encorajamento.
Admitamos, de modo geral, que os únicos irmãos baldos de força são aqueles
que tropeçam nas veredas da extrema penúria física; no entanto, em matéria de
abatimento moral, surpreendemos, em cada lance da estrada, legiões de companheiros
em cujos corações a esperança bruxuleia qual chama prestes a extinguir-se, ao sopro da
adversidade.
Um possui créditos valiosos nos círculos da finança, mas carrega o peso de
escabrosas desilusões; exorna-se aquele com títulos de cultura e competência, todavia
traz o espírito curvado sob constrangimentos e desgostos de toda espécie, como se
arrastasse fardos ocultos; outro dispõe de autoridade e influência, na orientação de vasta
comunidade, e tem o peito semi-sufocado de aflição à face das dores desconhecidas que
lhe gravam as horas; outro, ainda, exibe-se por modelo de higidez nas vitrinas da saúde
corpórea e transporta consigo um poço de lágrimas represadas, em vista das provações
que lhe oneram a vida.
Detém-te em semelhantes realidades e não recuses o donativo da coragem para
toda criatura irmã do caminho.
Se alguém errou, fala-lhe das lições novas que o tempo nos traz a todos; se
caiu, estende-lhe os braços com a fé renovadora que nos repõe nas trilhas de elevação;
se entrou em desespero, dá-lhe a bênção da paz; se tombou em tristeza, oferece-lhe a
mensagem do bom ânimo...
Ninguém há que prescinda de apoio espiritual.
Agora, muitos de nós precisamos da coragem de aprender, de servir, de
compreender, de esperar...
E, provavelmente, mais tarde, em trechos mais difíceis da viagem humana,
todos necessitaremos da coragem de sofrer e abençoar, suportar e viver.