domingo, 25 de março de 2012

"Experiências Difíceis"

Estamos fechando o primeiro trimestre de 2012, mas ainda lembrando vivamente de 2011.
2011 foi um ano difícil, em todos os sentidos, mas ao mesmo tempo profundamente revelador...
Foi possível, através dos múltiplos acontecimentos ao longo dos meses, descortinar levemente o que será de nosso futuro imediato. Guerras? Muitas, mas algo sufocadas pela sede de paz que começa a invadir a Humanidade. Preconceitos? Intensos, mas combatidos com vigor e cada vez mais boa vontade. Misérias? Por toda a parte, mitigadas, porém, em intervalos cada vez menores pela sociedade que aprende a dividir para multiplicar. Crimes? Alguns bárbaros, e ainda atraentes para exposição na mídia, infelizmente, mas vistos com desagrado por um número cada vez maior de pessoas. Corrupção? Irrefreável, porém cada vez mais condenada em dias de mudanças sociais e políticas irreversíveis. Leviandades? Por toda a parte, sugerindo inversão absoluta de valores, mas cansando olhos e ouvidos que buscam, paulatinamente, fontes mais elevadas de distração.
A Humanidade amadureceu, nos últimos tempos. Dirão os céticos que nada viram de melhor na face do homem, mas é possível perceber-se que algo está acontecendo nos corações humanos, e para melhor. Certamente que não virá ainda o tempo de paz tão sonhado, de prosperidade e fartura, de felicidade e realização, de respeito e bem estar, mas, a pouco e pouco, as pessoas aprendem a realizar o máximo com o mínimo, para finalmente descobrir, encantadas, que podem ser imensamente felizes com quase nada do que é hoje, lamentavelmente, o símbolo da felicidade terrena.
André Luiz é partidário entusiasta da realização máxima com recursos mínimos. Ele sabe que esta é uma das fórmulas mais eficazes para desenvolver ao infinito o potencial humano, soterrado, hoje, sob as facilidades de toda a ordem e que  inibem, muitas vezes, a realização de tarefas mais expressivas. Baseado nisso, ensina-nos, na mensagem abaixo, que tudo o que é demais, acredite, é menos à nossa felicidade e realização. Leia, e retire do texto a sua reflexão para hoje...
(Lori Marli dos Santos, para a mensagem "Experiências Difíceis", lista LEAL.)

EXPERIÊNCIAS DIFÍCEIS
A beleza física pode provocar tragédias imprevisíveis para a alma, se esta não possui discernimento.
Excessivo dinheiro é porta para a indigência, se o detentor da fortuna não consolidou o próprio equilíbrio.
Demasiado conforto é desvantagem, se a criatura não aprendeu a arte do desprendimento.
Muito destaque é introdução a queda espetacular, se o homem não amadureceu o raciocínio.
Considerável autoridade estraga a alegria de viver, se a mente ainda não cultiva o senso das proporções.
Grande carga de responsabilidade extermina a existência daquele que ainda não ultrapassou a compreensão comum.
Enorme cabedal de conhecimento, em meio de inúmeras pessoas ignorantes, vulgares ou insensatas, é fruto venenoso e amargo, se o espírito ainda não se resignou à solidão. ANDRÉ LUIZ (Agenda Cristã, 27, F.C.X., FEB)