segunda-feira, 26 de março de 2012

Redes Sociais


Passeando pelas Redes Sociais, mais uma vez, percebi como é nítida a verdade de quem quer servir ou ser útil, encontra como!
São tantas frentes de trabalho fraterno!
Aqui um cão abandonado; acolá uma criança especial em estado crítico; de outra parte um coração que lamenta a partida de um ente querido; em outro canto a intolerância familiar. Assim se colocam as sucessivas portas abertas para o nosso amor represado.
Sim! A nossa tristeza sem motivo, a solidão em meio a tantos, o dissabor frente ao porvir, a inércia no presente, a incerteza do viver e tantas outras questões que envolvem dolorosamente o nosso dia-a-dia poderiam muito bem serem dirimidas com o TRABALHO FRATERNO.
Já fui questionada e até mesmo recebi declarações contrárias no que diz respeito ao trabalho ou dedicação ao próximo serem as respostas para as nossas dores e desilusões, mas continuo firme e forte: "SER E ESTAR PELO NOSSO SEMELHANTE (OU NÃO) NOS DÁ UMA DIMENSÃO DIFERENTE DO EXISTIR!".
Quantos corações aguardam um sorriso, quantas mãos aguardam um afago, quantos olhos gostariam de enxergar, quantos ouvidos necessitam de palavras de estímulo, quantos e quantos exemplos temos ao nosso derredor!
Nossas riquezas são inenarráveis!! São sim!!
Você que teve a sua casa levada pelas águas, você que teve um ente morto brutalmente, você que foi mutilado física ou moralmente, você que perdeu o emprego, você cujo relacionamento não vai bem, você cuja vida parece vazia, você cujo sentido de viver se resume a vícios, você que já se deixou corromper pela vileza, você que alega não conseguir vencer as más tendências! Videntes que não querem ver!! Ouvintes que não querem ouvir!
Ergamos nossos olhos ou até mesmo olhemos as tais Redes Sociais com mais atenção! E quando falo nas Redes Sociais é porque as pessoas tem o péssimo hábito de dizer que aqui todos usam máscaras e vivem vidas irreais!
Quem quer ver encontra! Existe dor e sofrimento, penúria e lamentos, aflições e choro em muitos locais!
E somos tão ricos!!! Analisemos as nossas reais aptidões, vejamos como podemos realmente ofertar algo de melhor para o mundo, exerçamos a cidadania além das palavras e do ver e ouvir da população!
Sejamos mais solidários, mas antes de tudo, saibamos reconhecer como somos perfeitos, como temos inúmeros mecanismos de auxiliar, de amar, de ser e de existir!
Esqueçamo-nos das questiúnculas e foquemo-nos nas verdades que libertam!

A paz do Mestre esteja com todos.
Fiorella Romana em 18.03.2012