terça-feira, 24 de abril de 2012

NOSSOS PROBLEMAS

De modo geral, um problema surge à frente e consideramo-nos para logo
batidos pela aflição. Não raro, contornamo-lo através da fuga deliberada. Noutras
ocasiões, antes de arrostá-lo, resvalamos em desânimo ou rebeldia. E lá se vai a
oportunidade da promoção.
Às vezes, nós - espíritos eternos - perdemos sucessivas reencarnações,
simplesmente pelo medo de facear certas dificuldades justas e necessárias ao nosso
burilamento.
Problemas, no entanto, constituem o preço da evolução.
Não há conhecimento sem experiência e não há experiência sem provas.
Em todos os níveis da Natureza prevalecem semelhantes princípios. O embrião
da planta vive na semente um problema fundamental: como atravessar o envoltório que
o resguarda, para construir o seu próprio caminho na direção da luz? A lagarta enfrenta
outro: onde encasular-se para ser a borboleta?
Não fossem os desafios e exercícios da escola, a cultura, tanto quanto a
civilização seriam tão-somente idéias remotas no campo da Humanidade.
Não te amedrontes ante os problemas que te visitem. São eles recursos naturais
da existência, medindo-te a capacidade de adaptação e crescimento.
Nunca te certificarias se possuis bastante reservas de coragem, sem o obstáculo
que te ensina a decifrar os segredos da auto-superação, e jamais saberias se realmente
amas, sem a dor que te ajuda a desentranhar os mais puros sentimentos do coração.
Problemas são sinônimos de lição. Se tens o caminho repleto deles, isso significa
que chegaste à madureza de espírito, com a possibilidade de freqüentar
simultaneamente vários cursos de aperfeiçoamento no educandário do mundo.
Bendize o ensejo de testemunhar a tua abnegação e a tua fé, porque todo
momento de compreender e perdoar, auxiliar e edificar, é hora de aprender e tempo de
progredir.

Alma e Coração/Emmanuel/FXC