sábado, 28 de abril de 2012

PROFESSOR DE TEOLOGIA DEFENDE A INTERPRETAÇÃO ESPÍRITA DA BÍBLIA

Numa insistência verdadeiramente desanimadora, certas seitas
religiosas que fazem do combate ao Espiritismo a sua principal tarefa,
alegam sempre que os espíritas têm medo da Bíblia. Num debate de TV, o
reitor de um instituto bíblico protestante chegou a declarar aos espíritas
presentes, de Bíblia em punho: "Vocês não querem ouvir a palavra de Deus,
mas hoje vão ouvir"! Na sua ingenuidade, pensava que a leitura da Bíblia
poria os espíritas a correr.
Outro pastor, chefe de uma seita por ele mesmo fundada,
escandalizouse
quando afirmamos que a Bíblia não é a palavra de Deus, e
ingenuamente perguntounos:
"Mas o Senhor tem a coragem de dizer uma
coisa dessas na frente do povo de São Paulo"? Mais tarde, esquecendo os
seus deveres religiosos de honestidade e respeito à verdade, promoveu
uma campanha sistemática, pelo rádio, de desvirtuamento das nossas
declarações. Pensava, certamente, que Deus aprovava sua "bonita" atitude.
Alguns espíritas, por sua vez, ficaram assustados com a nossa
audácia. Achavam que poderíamos afastar do Espiritismo os crentes na
Bíblia. Esqueceramse
de que o Espiritismo não se interessa por quantidade
de adeptos, mas pela sua qualidade. Espíritas que se assustam com a
verdade sobre a Bíblia, estão ainda longe de compreender a Doutrina. Foi
por isso tudo que resolvemos enfrentar o tema durante algum tempo, nesta
seção 1 . É necessário que se diga a verdade, que se esclareça o povo, cm
vez de deixálo
iludido por expressões como "a palavra de Deus", que
servem apenas para os que não querem estudar o problema bíblico em sua
realidade histórica, religiosa e cultural.

Os que vivem gritando, de Bíblia em punho, que o Espiritismo é
condenado pela Bíblia, não conhecem uma coisa nem outra. Ignoram o que
seja a Bíblia e não têm a mais leve noção de Espiritismo. No dia em que
conhecerem ambas as coisas, terão vergonha de suas acusações atuais.
Se essas pessoas gostassem de ilustrarse
um pouco, indicaríamos a elas a
leitura de alguns livros de ilustres figuras protestantes. Por exemplo, o livro
de Haraldur Nielson, teólogo, tradutor da Bíblia para o islandês e professor
de teologia da Universidade da Islândia, intitulado: O Espiritismo e a
Igreja 2 . É um livrinho pequeno, que ainda agora aparece em nova edição
brasileira e está nas livrarias. Nesse livro, os nossos acusadores terão o
testemunho de um membro da Sociedade Bíblica Inglesa, que não se
tornou espírita, mas que reconhece a natureza dos livros bíblicos. Ele
protesta contra as afirmações, sempre levianas, de que a Bíblia condena as
manifestações espíritas e as sessões de Espiritismo.


Visão Espírita da Bíblia/J.Herculano Pires