sábado, 26 de maio de 2012

Brinquedo é coisa séria

A brincadeira tem significados importantes para as crianças.
Na brincadeira, a espontaneidade da criança se faz muito importante.
Não se deve conduzir, portanto, a brincadeira, nem aguardar que a criança utilize os brinquedos que se compre como o fabricante prescreveu.
Dar um brinquedo significa dizer a ela que temos plena certeza de que ela o utilizará adequadamente. É atestado de confiança na sua capacidade.
Equivocamo-nos quando desejamos que nosso filho brinque do jeito que se espera.
Afinal, a sua criatividade é que determinará a melhor maneira de utilizar o que lhe estamos oferecendo.
Como nossos filhos têm, muitas vezes, tendências à agressividade, cumpre não cultivá-las ainda mais.
A escolha do brinquedo é de suma importância.
Brinquedos-armas podem funcionar como agentes indutores de descerramento de valores no plano da memória inconsciente.
Se dermos um brinquedo-tanque motivaremos a criança a vivenciar o clima de guerra; o brinquedo-metralhadora é símbolo de morte; brinquedo-cassetete impulsiona à violência; brinquedo-baralho induz ao vício.
Mas o brinquedo-trator estimula à produção, ao trabalho. O brinquedo-instrumento cirúrgico motiva à valorização da vida.
O brinquedo-ambulância fala da solidariedade. O brinquedo-letras ou números lhe exercitará a inteligência.
Na mesma linha de pensamento, interpretar com leviandade a brincadeira dos pequenos é desconsiderar-lhe a importância.
Assim, quando o filho atinge o pai com o revólver de brinquedo e o pai toma atitude do atingido, que depois se ergue e prossegue a agir, a criança não está aprendendo o que significa “matar”.
Está afirmando o pai que ela não está sendo levada a sério.
Atitude correta é o pai, ao receber os tiros, dizer-lhe que se for morto, não poderá mais providenciar o pão à mesa, nem pagar o sorvete, ou levá-la a passear.
Esta é atitude coerente. Nem sermões. Nem agressão de volta.
Fazer com que a criança perceba que, se o pai levar o tiro, não continuará presente. Aprendizado que se torna positivo.
Tornemos a lembrar que Jesus determinou: “Deixai vir a mim as criancinhas, e não as impeçais, porque delas é o Reino dos Céus", e não nos permitamos, por pura invigilância, distrair-lhes as mentes com falsas alegrias, sufocar-lhes as virtudes.
Não lhes coloquemos os pés na areia movediça da perturbação.
Você sabia?
...que os filhos são programados na esfera espiritual, antes da reencarnação?
E que nessa programação são levadas em conta as questões crédito-débito, decorrentes das encarnações anteriores?
E que os deveres dos pais em relação aos filhos estão inscritos na sua consciência?
Redação do Momento Espírita, com base no cap. 17 do livro Uma vida para seu filho, de Bruno Bettelheim, ed. Campus e no texto Dê brinquedos educativos aos seus filhos, da Revista O Espírita, de out/dez. 96.