quarta-feira, 30 de maio de 2012

Necessário acordar

“Desperta, ó tu que dormes, levanta-te dentre os mortos e o Cristo te esclarecerá.” – Paulo. (Efésios, 5:14.)



Grande número de adventícios ou não aos círculos do Cristianismo acusa fortes dificuldades na compreensão e aplicação dos
ensinamentos  de Jesus. Alguns encontram obscuridades nos
textos, outros perseveram nas questiúnculas literárias. Inquietamse, protestam e rejeitam o pão divino pelo envoltório humano de
que necessitou para preservar-se na Terra.
Esses amigos, entretanto, não percebem que isto ocorre, porque permanecem dormindo, vítimas de paralisia das faculdades
superiores.
Na maioria das ocasiões, os convites divinos passam por eles,
sugestivos e santificantes; todavia, os companheiros distraídos
interpretam-nos por cenas sagradas, dignas de louvor, mas
depressa relegadas ao esquecimento. O coração não adere,
dormitando amortecido, incapaz de analisar e compreender.
A criatura necessita indagar de si mesma o que faz, o que deseja, a que propósitos atende e a que finalidades se destina. Fazse indispensável examinar-se, emergir da animalidade e erguerse para senhorear o próprio caminho.
Grandes massas, supostamente religiosas, vão sendo conduzidas, através das circunstâncias de cada dia, quais fileiras de
sonâmbulos inconscientes. Fala-se em Deus, em fé e em espiritualidade, qual se respirassem na estranha atmosfera de escuro
pesadelo. Sacudidas pela corrente incessante do rio da vida,
rolam no turbilhão dos acontecimentos, enceguecidas, dormentes
e semimortas até que despertem e se levantem, através do esfor-
ço pessoal, a fim de que o Cristo as esclareça.