sábado, 25 de agosto de 2012

Madalena

Segundo a narrativa evangélica, a primeira pessoa a ver Jesus redivivo foi Maria Madalena.
Dentre os fatos mais significativos do Evangelho, esse é daqueles que convidam à meditação mais detida.
Por qual razão Jesus elegeu justamente Madalena para vivenciar essa experiência?
Havia inúmeras figuras mais próximas de Sua vida, às quais seria mais lógico que aparecesse em primeiro lugar.
Naturalmente surge a indagação:
Por que não escolheu aparecer antes para Sua mãe, Maria Santíssima?
Ou então para Seus amados apóstolos?
Entretanto, o gesto de Jesus é profundamente simbólico em sua essência Divina.
Dentre os vultos da Boa Nova, ninguém precisou se modificar tanto para seguir Jesus.
A convertida de Magdala necessitou tomar as medidas mais drásticas, dentre todos os que se transformaram ao contato do Mestre.
Paulo de Tarso também experimentou uma substancial modificação.
Mas ele era apaixonado pela lei antiga, não pelos vícios e prazeres do mundo.
Madalena, porém, conhecera o fundo amargo dos hábitos difíceis de serem extirpados.
Fizera-se rica prostituta, por entre luxos e deboches.
Amolentara-se ao contato de entidades perversas, que a subjugavam.
Permanecia moralmente morta nas sensações que operam a paralisia da alma.
Contudo, bastou um encontro com o Cristo para abandonar tudo e seguir-Lhe os passos.
Não se imagine que tal se deu como em um passe de mágica.
Certamente, ela precisou lutar bravamente contra seus hábitos infelizes.
Foi perseguida, tentada de todos os modos a retomar a antiga vida.
Mas foi fiel até o fim nos atos de negação a si mesma.
Resoluta, tomou a cruz que lhe competia no calvário redentor de sua existência angustiosa.
Quando muitos abandonaram o Mestre, permaneceu com Ele ao pé da cruz.
Segundo informes do plano espiritual, terminou sua vida física a cuidar de leprosos.
Encaminhou-se com alguns deles para o vale em que viviam, a fim de instruí-los sobre a mensagem cristã.
Ao contato do sublime amor do Mestre, encontrou forças para se retificar de modo definitivo.
É compreensível que muitos indaguem a razão pela qual Jesus não apareceu primeiro a outras pessoas.
Todavia, é igualmente razoável reconhecer que Seu gesto foi pleno de simbolismo.
Ele ratificou que a Sua doutrina deve ser o código de ouro das vidas transformadas.
Aprendizes e seguidores necessitam nela encontrar forças para romper com hábitos infelizes e se modificarem.
*   *   *
Evangelho significa Boa Nova.
Ao contato dele, a felicidade deve surgir nos caminhos humanos.
Não a felicidade falsa e ruidosa que o mundo propicia.
A felicidade em questão é a da consciência tranquila.
A de quem vive sereno por saber que dá o melhor de si.
E ninguém, como Maria Madalena, deu tanto de si, para se transformar, à luz do Evangelho.
Pense nisso.

Redação do Momento Espírita, com base no cap. 92, do
ivro C
aminho, Verdade e Vida, pelo Espírito Emmanuel,
psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. Feb.