segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Levantai os olhos

“Eis que eu vos digo: Levantai os vossos olhos e vede as
terras, que já estão brancas para a ceifa.”
J esus (João, 4:35)


O mundo está cheio de trabalhos ligados ao estômago.
A existência terrestre permanece transbordando emoções relativas ao sexo.
Ninguém contesta o fundamento sagrado de ambos, entretanto, não
podemos estacionar numa ou noutra expressão.
Há que levantar os olhos e devassar zonas mais altas. É preciso cogitar da
colheita de valores novos, atendendo ao nosso próprio celeiro.
Não se resume a vida a fenômenos de nutrição, nem simplesmente à
continuidade da espécie.
Laborioso serviço de iluminação espiritual requisita o homem.
Valiosos conhecimentos reclamamno
a esferas superiores.
Verdades eternas proclamam que a felicidade não é um mito, que a vida
não constitui apenas o curto período de manifestações carnais na Terra, que a paz é
tesouro dos filhos de Deus, que a grandeza divina é a maravilhosa destinação das
criaturas; no entanto, para receber tão altos dons é indispensável erguer os olhos,
elevar o entendimento e santificar os raciocínios.
É imprescindível alçar a lâmpada sublime da fé, acima das sombras.
Irmão muito amado, que te conservas sob a divina árvore da vida, não te
fixes tãosomente
nos frutos da oportunidade perdida que deixaste apodrecer, ao
abandono... Não te encarceres no campo inferior, a contemplar tristezas, fracassos,
desenganos!... Olha para o alto!... Repara as frondes imortais, balouçandose
ao
sopro da Providência Divina! Dá-te
aos labores da ceifa e observa que, se as raízes
ainda se demoram presas ao solo, os ramos viridentes, cheios de frutos
substanciosos, avançam no Infinito, na direção dos Céus.
O mundo está cheio de trabalhos ligados ao estômago.
A existência terrestre permanece transbordando emoções relativas ao sexo.
Ninguém contesta o fundamento sagrado de ambos, entretanto, não
podemos estacionar numa ou noutra expressão.
Há que levantar os olhos e devassar zonas mais altas. É preciso cogitar da
colheita de valores novos, atendendo ao nosso próprio celeiro.
Não se resume a vida a fenômenos de nutrição, nem simplesmente à
continuidade da espécie.
Laborioso serviço de iluminação espiritual requisita o homem.
Valiosos conhecimentos reclamamno
a esferas superiores.
Verdades eternas proclamam que a felicidade não é um mito, que a vida
não constitui apenas o curto período de manifestações carnais na Terra, que a paz é
tesouro dos filhos de Deus, que a grandeza divina é a maravilhosa destinação das
criaturas; no entanto, para receber tão altos dons é indispensável erguer os olhos,
elevar o entendimento e santificar os raciocínios.
É imprescindível alçar a lâmpada sublime da fé, acima das sombras.
Irmão muito amado, que te conservas sob a divina árvore da vida, não te
fixes tãosomente
nos frutos da oportunidade perdida que deixaste apodrecer, ao
abandono... Não te encarceres no campo inferior, a contemplar tristezas, fracassos,
desenganos!... Olha para o alto!... Repara as frondes imortais, balouçandose
ao
sopro da Providência Divina! Dáte
aos labores da ceifa e observa que, se as raízes
ainda se demoram presas ao solo, os ramos viridentes, cheios de frutos
substanciosos, avançam no Infinito, na direção dos Céus.


Vinha de Luz/Emmanuel/FCXavier