quarta-feira, 3 de outubro de 2012

CONVITE À EDUCAÇÃO

“Porque só um é vosso Mestre, o Cristo.”
(Mateus: capítulo 23º, versículo 10.)


 Tarefa de todos nós — a educação.
Ajusta-se a peça na engrenagem a benefício do conjunto.
Harmoniza-se a nota musical em prol do poema melódico.
Submete-se o instrumento ao mister a que se destina.
O esforço pela educação não pode ser desconsiderado. Todos temos
responsabilidades no contexto da vida, nas realizações humanas, nas
atividades sociais, membros que somos da Família Universal.
Ninguém consegue realizar-se isolado.
Ignorância representa enfermidade carecente de imediata atenção.
O labor educativo, por isso mesmo, impõe incessantes contribuições,
exigindo valiosos investimentos de sacrifício a benefício do conjunto.
Educa-se sempre, quer se pense fazê-lo ou não.
Da mesma forma que a imobilidade seria impossível a inércia humana e a
indiferença são apenas expressões enfermiças. Mesmo nesses estados criamse
condicionamentos que geram hábitos, educando-se mal, em tais
circunstâncias os que se fazem nossos cômpares.
A anarquia que distila vapores alucinantes conduzindo à estroinice,
fomenta estados de vandalismo educação perniciosa.
A ordem dispõe à disciplina que promove a eqüidade, atendendo à justiça
— educação edificante.
A educação, assim examinada, traslada-se dos bancos escolares para
todos os campos de atividade, fazendo que todos nos transformemos em
educadores, vinculados, sem dúvida, àqueles que se nos transformam em
seguidores conscientes ou não, aprendizes conosco dos recursos de que nos
fazemos portadores.
Jesus, o Educador por Excelência deu-nos o precioso legado vivo da Sua
vida que é sublime lição de como ensinar sempre e incessantemente
produzindo saúde, harmonia e esperança em volta dos passos.
E o Espiritismo, que nos concita a incessante exame educativo de atitudes
e comportamentos. conscientiza-nos sobre a responsabilidade de que, mediante
a educação correta, chegaremos ao fanal da caridade perfeita.