sábado, 24 de novembro de 2012

Indicação de Pedro

“Aparte-se
do mal, e faça o bem; busque a paz, e sigaa.”
Pedro . (I Pedro, 3:11)


A indicação do grande apóstolo, para que tenhamos dias felizes, parece
extremamente simples pelo reduzido número de palavras, mas revela um campo
imenso de obrigações.
Não é fácil apartarse
do mal, consubstanciado nos desvios inúmeros de
nossa alma através de consecutivas reencarnações, e é muito difícil praticar o bem,
dentro das nocivas paixões pessoais que nos empolgam a personalidade, cabendonos
ainda reconhecer que, se nos conservarmos envolvidos na túnica pesada de
nossos velhos caprichos, é impossível buscar a paz e seguila.
Cegaramnos
males numerosos, aos quais nos inclinamos nas sendas
evolutivas, e acostumados ao exclusivismo e ao atrito inútil, no desperdício de
energias sagradas, ignoramos como procurar a tranqüilidade consoladora. Esta é a
situação real da maioria dos encarnados e de grande parte dos desencarnados que se
acomodam aos círculos do homem, porque a morte física não soluciona problemas
que condizem com o foro íntimo de cada um.
A palavra de Pedro, desse modo, vale por desafio generoso.
Nosso esforço deve convergir para a grande realização.
Dilaceresenos
o ideal ou firasenos
a alma, apartemonos
do mal e
pratiquemos o bem possível, identifiquemos a verdadeira paz e sigamola.
E tão logo
alcancemos as primeiras expressões do sublime serviço, referente à própria
edificação, lembremonos
de que não basta evitar o mal e sim nos afastarmos dele,
semeando sempre o bem, e que não vale tãosomente
desejar a paz, mas buscála
e segui-la com toda a persistência de nossa fé.