terça-feira, 13 de novembro de 2012

Tudo pode começar com um olhar

Toda vez que lançamos um olhar para uma pessoa transmitimos, através dele, alguma mensagem.
O olhar não necessita de palavras. Por si só, expressa um sentimento.                    
*  *  *
Em entrevista ao jornal italiano Avvenire, o ator Pedro Sarrubi, que fez o papel de Barrabás, no filme Paixão de Cristo, de Mel Gibson, relatou fato interessante.
Contou que gostaria de ter sido escalado para representar São Pedro nesse filme. Mas, os atores foram escolhidos pela semelhança com os personagens retratados nos quadros de Caravaggio e outros pintores.
Ficou então designado para o papel do prisioneiro libertado pelo governador Pôncio Pilatos, no episódio do julgamento de Jesus.
O diretor da filmagem orientou-o para que interpretasse seu personagem como um cão feroz. Contudo, no momento em que encontrasse o Cristo, ele deveria mudar, por se sentir envolvido pela presença do Filho de Deus.
Foi-lhe solicitado que, exatamente nessa cena, ele olhasse para Jesus como se o estivesse vendo pela primeira vez.
E, seguindo as orientações do diretor, assim o fez. Quando seus olhos cruzaram com os olhos do ator que interpretava Jesus, ele sentiu uma espécie de corrente energética, como se olhasse de verdade para o Cristo.
Confessou que, durante a gravação do filme, sentiu-se profundamente tocado por esse olhar.
Talvez isso tenha acontecido porque os atores se entregaram de coração ao trabalho, devido à grandeza e à beleza da história que estava sendo retratada.
Outro fato também é que ele já havia começado uma busca espiritual há muitos anos, o que o levou a percorrer o mundo. E, naquele momento, estava pronto para entender a verdade que a vinda de Jesus significou.
Na sua pesquisa antropológica, permaneceu em um mosteiro tibetano, praticou meditação na Índia, viveu na Amazônia. Mas, segundo disse ao entrevistador, sentiu que sua busca havia terminado somente quando entendeu a grandeza dos ensinamentos de Jesus.
*   *  *
Jesus esteve na Terra, sob estes céus, falando de paz, união, amor, perdão. Um dia, aquele doce olhar nos alcançou e fez, em nossa vida, a grande diferença.
Trouxe-nos a certeza da Imortalidade da alma e da continuidade da vida espiritual.
Mostrou-nos o olhar de um coração justo, que sorri porque ama plenamente, sem julgamentos, preconceitos e sem distinções.
Hoje, como ontem, há ainda um encantado olhar para todos nós, que traz a magia da luz, a simplicidade do perdão e a força para enfrentar as dificuldades da vida.
Um olhar que transforma um homem sem esperança em uma pessoa que vislumbra infinitas possibilidades.
O olhar de Jesus nos aproxima do reino de Deus. É a força que faz sorrir e continuar o caminho.
Antes de operar as curas, Jesus sempre olhava profundamente para as pessoas. É como se, naquele momento, as doenças, as tristezas e as aflições já começassem a se dissipar.
Coloquemos o olhar em Jesus, com a certeza de que ele colocará em nossos corações tudo de que necessitarmos.

Redação do Momento Espírita, com base em texto de
autoria desconhecida