domingo, 20 de janeiro de 2013

Abençoa e passa...

Deixa que a bênção de Deus te ilumine o coração para que saibas abençoar. Ninguém prescinde do amor para viver...
Observa os que marcham, desdenhosos, ignorando-te a presença, habituados à convicção de que o ouro pode comprar a felicidade. Abençoa-os e passa... Ninguém conhece o rochedo em que o barco da ilusão lhes infligirá o derradeiro travo de angústia.
Vês, inquieto, os que se desmandam no poder. Abençoa-os e passa... Muitos deles simplesmente arrastam as paixões que os arrastarão para o gelo do ostracismo ou para a cinza do esquecimento.
Ouves, triste, os que injuriam e amaldiçoam. Abençoa-os e passa... São eles tão infelizes que ainda não podem assinalar as próprias fraquezas.
Se alguém te fere, abençoa. E se esse mesmo alguém volta a ferir-te, abençoa outra vez.
Se teu filho é rebelde e insensato, abençoa teu filho, porque teu filho viverá; se teus pais são irresponsáveis e desumanos, abençoa teus pais, porque teus pais viverão.
Se o companheiro aparece ingrato e desleal, abençoa teu companheiro, porque continuará ele vinculado à existência. Se há quem te calunia ou persegue, abençoa os que perseguem e caluniam, porque todos eles viverão.
Humilhado, batido, esquecido ou insultado, abençoa sempre. Basta a vida para retificar os erros da consciência...
(Emmanuel, sintetizado da mensagem "Abençoa", livro Religião dos Espíritos, Francisco C. Xavier)