quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Infeliz deles!

Que pensar dos que abusam da superioridade da posição sócial,
para oprimirem o fraco sem proveito?
- Esses merecem o anátema: Infelizes deles! Serão oprimidos, por sua vez, e
renascerão numa existência em que sofrerão tudo o que fizeram sofrer
(“O Livro dos Espíritos” nº 807)



Os espíritos superiores foram incisivos na resposta dada ao
codificador: Os que oprimem serão oprimidos. Infelizes deles, então,
os espíritos encarnados que se constituem em obstáculo ao progresso
espiritual daqueles que Deus lhes confiou à tutela!
Infelizes deles, os que escravizam mentes e corações, impedindo o
crescimento de quantos se lhe vinculam ao caminho.
Infelizes deles, os que não hesitam em tirar proveito do
semelhante, sem qualquer preocupação com a felicidade que lhes
diz respeito!...
Infelizes deles os que manipulam os outros, deformando-lhes o
caráter e criando-lhes viciações na personalidade!...
Infelizes deles, os que negam ao trabalhador a oportunidade de
trabalho; á criança, o acesso à escola; ao jovem, a formação
moral!...
Infelizes deles, os que corrompem os sentimentos da mulher que se
torna mãe, que realizam promessas afetivas que não cumprem, que
descartam quantos não mais lhes atendam aos instintos!...
Compungidos pelo remorso e constrangidos pela lei, quantos
abusam do poder, da posição social que transitoriamente ocupam
entre os homens e dos recursos amoedados que detém, bem como de
seus atrativos físicos e sagacidade intelectual, renascerão em
condições lamentáveis, completamente inversas, indo de um
extremo ao outro nas experiências kármicas que lhes são
imprescindíveis!
Renascerão na idiotia e na obsessão, na invalidez e na miséria,
expostos á perturbação alheia, vítimas de si mesmos, ante a
indiferença dos que observam, de braços cruzados, os
padecimentos...
Renascerão na orfandade, corrompidos desde criança, adquirindo
hábitos negativos, contra os quais lutarão na reconstrução do
mundo íntimo.
Renascerão para inspirarem piedade nas almas tão insensíveis
como eles próprios o foram...
Renascerão para experimentarem as mesmas frustrações que
impuseram, para verterem as mesmas lágrimas que fizeram
derramar, para, enfim, anularem em si toda e qualquer inclinação
para o mal...
A lei não é de punição: É de educação! Renascerão, para
aprenderam com os próprios equívocos, sentindo nas entranhas da
alma as conseqüências do sofrimento; renascerão para se redimirem,
para que o ódio se transforme em amor e, de algozes da
humanidade, se tornem benfeitores.
O delinqüente de hoje será, amanhã um exemplo de homem de
bem; os mais tenazes adversários do Cristo foram os que se
converteram, ao longo do tempo, nos seus mais ardorosos
defensores; as almas altruístas de agora, antes que sejam
reverenciadas na condição de missionários da caridade, são os
espíritos em grande comprometimento cármico...
Os agentes das trevas são os agentes em potencial da luz!...
O arrependimento opera prodígios de renovação sobre a alma que
não mais se lhe opõe!...
Bem-aventurados, portanto, os que da cruz dos próprios
padecimentos alçam vôos no infinito, fortalecendo as asas ainda
frágeis na ação incessante da caridade.

Se Teus Olhos Forem Bons/C.Bacelli