domingo, 27 de janeiro de 2013

Sessenta minutos...

Se ainda te observas distante de viver a humildade continuamente em todas as horas do dia, podes vivê-la uma hora diária pelo menos...
Será essa a tua hora de procurar o último lugar, a hora de te apagares para que se eleve o brilho dos outros...
Anula nesses sessenta minutos a tensão emocional a respeito de títulos, condições sociais, inclusive a censura a ti próprio, no que tange à defesa do teu lugar ao sol...
Que a tua hora de humildade seja cultivada esmeradamente, cada dia, nos lugares em que deva ser exercida para favorecer-te a ascensão espiritual, seja no escritório, na via pública, no entendimento entre amigos ou na intimidade do lar...
Recebe no coração a visita do Senhor, ainda que por breves minutos durante o dia.
Começa a ser humilde, abolindo todo desculpismo e conquistando o tempo necessário para a tua hora de humildade e acabarás incorporando em ti mesmo os valores supremos do benfeitor maior que, na conceituação do Cristo, será sempre aquele que se fizer o servidor de todos.
(André Luiz, "Tua Hora de Humildade ", livro Sol nas Almas, F. C. Xavier)