sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Ante o ano que se anuncia

Hoje é o primeiro dia do novo ano, que foi recepcionado com fogos de artifício e muita alegria.
Embora as diferenças das horas, o planeta todo se envolveu com sua chegada que, em muitas tradições, é representado como um bebê, enquanto o velho ano se despede, encarquilhado, cansado.
Com o Ano Novo ressurgem as esperanças das criaturas que planejam o melhor para si, para a família, para a Humanidade.
Há os que planejam se casar, iniciando uma nova família.
Há os que idealizam a aquisição da casa própria, pensando em como poderão tornar aconchegante a residência: jardim, flores, arbustos, muita iluminação, um cantinho especial.
E há os que pensam no filho, cujo nascimento idealizam para os próximos meses.
Alguns projetam a realização de cursos universitários, de graduação, pós-graduação, especialização.
Outros pensam na viagem ao Exterior, há tanto tempo sonhada e aguardada.
Enfim, os sonhos são múltiplos. Cada ser tem seu sonho e o planeja concretizar. Ano Novo é oportunidade para isso. Serão dias novos, chances renovadas.
Quem está enfrentando enfermidade de qualquer ordem, pensa que os dias novos lhe deverão trazer a saúde de retorno. Quiçá, a nova droga que lhe está sendo ministrada surta o desejado efeito. Quem sabe um tratamento inusitado surja, trazendo a cura para a sua problemática.
E assim, os anseios, os sonhos se sucedem, às centenas, aos milhares, numa incrível diversidade.
No entanto, entre tantos cumprimentos, alegrias, saudações ao novo ano e sonhos, importante seria que também pensássemos em termos espirituais.
Pensarmos em como poderemos melhorar nossa maneira de ser. Em como poderemos nos aproximar daquela pessoa com a qual tivemos problemas, que estabeleceram o distanciamento, há tanto tempo...
Pensarmos em termos de perdão, mesmo que não tenhamos sido os causadores diretos da desavença.
Pensarmos em como poderemos nos ilustrar mais, enriquecendo o intelecto e introjectando propósitos de melhoria interior.
Ano Novo significa renovação. E a renovação deve ser ampla, abrangendo  o todo que somos: corpo, mente, Espírito.
Façamos, pois, propósitos de sermos mais compreensivos, mais pacientes, mais tolerantes.
Sermos mais cordatos, desculpando, buscando entender o outro, a sua forma de pensar, a sua razão.
E, importante, planejar momentos de reflexão, a fim de ter um encontro consigo mesmo, vez ou outra, ao menos.
Planejar ações renovadoras de estímulo ao trabalho no bem. Uma inscrição em trabalho voluntário, uma vez na semana que seja.
Planejar viver mais intensamente cada hora, cada instante, se propondo à observação do entorno: da natureza exuberante, do sol benéfico, da chuva abençoada, dos ventos refrescantes, da flor que desabrocha.
Também dos que nos cercam, a cada dia, todos os dias e aguardam, há muito tempo, que os olhemos nos olhos, que lhes observemos os vincos na face, as alegrias e as tristezas: nossos pais, esposos, filhos, amores...
Iniciemos o novo ano com a disposição de sermos melhores, colaborando com a implantação da Nova Era. Façamos a diferença, onde estivermos e com quem estivermos.
O mundo melhor pode começar agora em nosso coração e amanhã se espalhar a benefício dos que conosco compartilham este imenso lar chamado Terra.
Tenhamos todos um Feliz Ano Novo, no milênio que apenas balbucia as primeiras horas.

Redação do Momento Espírita.