sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Do jeito que você é

Mark Tucker produz e apresenta projetos em multimídia pelos Estados Unidos da América.
Certa noite, após uma apresentação, foi procurado por uma mulher, que lhe disse: Você deveria tocar a música de meu filho no seu programa.
Mark, então, desfiou o rosário de sempre: O rapaz devia mandar uma fita para demonstração.
Não precisava ser uma gravação profissional, bastaria uma gravação caseira, alguns acordes de guitarra para ele ter uma ideia do tipo de música que ele fazia.
Depois que Mark explicou todo o processo, a mulher olhou-o, sorrindo, e disse: Bem, meu filho é Billy Joel.
Assim que se recuperou do susto, Mark rapidamente lhe assegurou que seu filho, o famoso compositor Billy Joel, não precisaria enviar uma fita!
A mulher insistia que ele deveria tocar uma música específica que o filho escrevera. Ela sentia que, naquela canção, havia uma mensagem positiva sobre autoconfiança, que se encaixava perfeitamente no trabalho de Mark.
E ela começou a descrever como as sementes da letra da canção haviam sido plantadas desde a infância do compositor.
Quando era criança, Billy dizia, com frequência, que queria ser outra pessoa, alguém diferente de quem era.
Ficava aborrecido por ser mais baixo do que os outros meninos. Era comum vir da escola ou de um jogo reclamando por não se sentir competente. Ele dizia como gostaria de ser só um pouquinho mais alto...
Para sua mãe, naturalmente, o filho era perfeito. Assim, toda vez que ele exprimia um sentimento negativo sobre si mesmo, ela afirmava: Não se preocupe, isso não tem a menor importância. Você não precisa ser outra pessoa, porque você é perfeito. Somos todos únicos e diferentes uns dos outros. E você também há de ter algo maravilhoso para dividir com o mundo. Amo você exatamente como você é.
Essas palavras de uma mãe que amava seu filho exatamente como ele era, ficaram gravadas no coração do menino e permitiram que seu talento desabrochasse.
Pois Billy Joel cresceu e descobriu sua vocação para fazer músicas, que se tornaram conhecidas em todo o mundo. E milhões de pessoas ouvem com o coração as palavras inspiradas, por sua mãe, na música vencedora do primeiro Grammy:
Não mude só para tentar me agradar... Amo você do jeito que você é.
*   *   *  
A mudança é parte importantíssima para a evolução humana. Mas, ao mesmo tempo em que devemos nos esforçar a cada dia para sermos melhores do que antes fomos, precisamos também aprender a nos amar do jeito que somos hoje.
Não é um sentimento de acomodação, e sim de respeito à natureza humana, que se modifica aos poucos.
Somos extremamente diferentes uns dos outros. Cada um tem uma história única, com muitas experiências vividas através dos tempos.
É por essa razão que somos singulares, que temos potencialidades tão diversas.
No arco-íris, ninguém poderá, jamais, afirmar qual das cores é a mais bela, pois elas são simplesmente diferentes, e são essas diferenças que fazem a grande beleza desse fenômeno natural.
Assim é também o Espírito em sua marcha evolutiva. Seguimos caminhos diversos para alcançar o mesmo fim: a perfeição.

Redação do Momento Espírita, com base no cap. Do
jeito que você é, de Jennifer Read Hawthorne, do livro
Histórias para aquecer o coração, v. 2, de Jack Canfield,
Mark Victor Hansen e Heather McNamara, ed. Sextante.