segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Orações encomendadas


Quem sobe a montanha, respira o ar puro e descortina mais amplas paisagens.

Aquele que trabalha com perfumaria, se impregna das essências agradáveis dos aromas que manipula.

Quando alguém ora, comunga com Deus e experimenta renovação íntima e paz.

A oração ilumina o ser, acalma-o, renova-o, dá-lhe vida.

Orar é como arar. É produzir recursos valiosos de sustentação do equilíbrio.

Quando se transfere esse tesouro para outra pessoa realizá-lo, perde-se a energia que se irradia do Pai na direção de quem pede. Embora a onda mental daquele que ora alcance quem necessita, e a rogativa propicie socorro, o ato pessoal de orar é poderoso veículo de elevação espiritual.

Por tudo isso, habitua-te à oração para pedir, para louvar e para agradecer a Deus sempre.

No clima de harmonia que desfrutes, orando, roga pelo teu próximo, mas convida-o a orar também, a fim de que ele se impregne de luz.

Quem ora, se eleva a Deus e se penetra de bênçãos, exatamente como acontece com aquele que colhe flores perfumadas.

Quando se transfere a oportunidade de orar para outro, significa negar-se à conquista do equilíbrio emocional e da plenitude espiritual.

Orar é se banhar de claridade, colocando-se em sintonia com as chuvas de energias restauradoras.

Quem ora, se vitaliza e se enternece.

Jesus recomendou que orássemos uns pelos outros, num convite à solidariedade fraternal, a fim de que nos ajudemos através das ondas mentais da comunhão com Deus.

Quando a dor se apresenta sob qualquer forma, a oração é o veículo mais eficaz para suportá-la e superá-la. Além disso, ela cria um campo de paz, no qual a alma se fortalece e se inspira, melhor identificando os recursos próprios para propiciar a alegria e o bem-estar.

Não deixes de interceder pelo próximo através da oração. Todavia, não estimules as encomendas de preces, porque com essa medida os outros se sentirão desobrigados de orar, eles mesmos.

Desse modo, ora, ajudando aquele que sofre, no entanto, encoraja-o a sair do emaranhado de problemas psíquicos, orando, ele próprio, com o objetivo de restaurar-se.

Quando ores por alguém, envolve-o em ternura e envia-lhe pensamentos de bem-estar, participando emocionalmente da vibração que lhe destines.

Evita a repetição de palavras sem envolvimento emocional; a expressão maquinal, sem a onda do amor que ajuda.

Ao orares, abre-te a Deus. Doa-te de coração e de alma. Sentirás as dúlcidas respostas te impregnando de forças-luz que te vitalizarão por largo período.

*   *   *

Jesus nos ensinou pelo exemplo como se deve orar e porque se deve fazê-lo.

Sempre esteve buscando o Pai mediante a oração, que não transferiu para ninguém.

Dessa forma, ante as encomendas das preces por amigos ou conhecidos, orienta-os e convoca-os ao exercício de auto-iluminação, orando.

Porém, intercede por eles a Jesus e mantém a tua sintonia com Deus, pela prece, a fim de seres feliz.

Redação do Momento Espírita, com base no cap.
27, do livro Desperte e seja feliz, pelo Espírito
Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira
Franco, ed. LEAL.