quinta-feira, 6 de março de 2014

À Imagem e Semelhança

As conquistas da Ciência, o avanço da tecnologia, a cada dia nos surpreendem e nos levam a indagar: Até onde irá a criatividade, a engenhosidade humana?
De que mais seremos capazes?
Testemunhamos a criação de estruturas funcionais, a partir de células-tronco, tendo conseguido os cientistas produzirem pele, orelha, nariz, coração, em laboratório.
Novas vacinas, equipamentos para realização de diagnósticos e terapias inovadoras assinalam a conquista dos estudiosos, que acenam com esperanças renovadas o processo de aniquilar o vírus do HIV e encontrar uma fórmula de cura aos contaminados.
Pesquisadores descobriram que o gene lin28a - que fica ativo no início da vida, mas se torna inativo, conforme os tecidos ficam mais maduros - é capaz de reprogramar as células somáticas humanas, de forma que elas voltem ao seu estado embrionário.
Essa descoberta permite o avanço nos estudos sobre a regeneração de membros amputados.
E, quando se fala do Infinito, do nosso imenso Universo, lembramos de que, desde 1977, a sonda espacial  Voyager 1 deixou nosso sistema solar e alcançou o espaço interestelar.
O que até há pouco tempo parecia pura ficção vai se tornando realidade nos dias em que vivemos.
A sonda americana Curiosity chegou à cratera Gale, no equador marciano e nos enviou registros de evidências diretas de que existiu um lago de água doce no planeta vermelho.
*   *   *
Admirando as conquistas do homem, as técnicas de cirurgias sempre menos invasivas, a possibilidade de viajar pelo Infinito tanto quanto de descobrir tesouros de vida no interior da nossa Terra, ou no seio tépido dos mares, nos indagamos: Como pode tanto o homem?
E, encontramos nos versículos bíblicos do livro de Gênesis a anotação: Façamos o homem à nossa imagem e semelhança.
Semelhança de Deus. Deus é infinito em Suas qualidades: único, eterno, justo, bom, imparcial, onipotente, Criador incriado.
Semelhantes a ele, guardamos a imortalidade em nós e a condição de criar, a partir da matéria prima que Ele nos oferece.
Não há limites, pois, para as inovações da inteligência, não há limites no Universo.
Esse é um extraordinário incentivo à pesquisa, ao estudo, à imaginação, à criatividade.
Gerados do amor e pelo amor, nossa essência interior é o bem, a união. Por isso, nos debruçamos nos laboratórios de pesquisa, desdobrando-nos para a descoberta do que possa melhorar a vida dos nossos irmãos, sobre a Terra.
Por isso, olhamos para as estrelas, recordamos das outras tantas Humanidades que povoam os astros e, num sentido de fraternidade, os desejamos alcançar.
Imagem e semelhança de Deus. Onipotência – criatividade.
Inesgotabilidade – incessante vontade de aprender, descobrir, ir adiante.
Filhos de Deus, herdeiros do Universo, cada um de nós, como Ele, é único, porque Deus não se reprisa. e nos assinalou como destino o Infinito. O Infinito do Universo. O infinito das possibilidades.
Pensemos nisso: olhemos as estrelas e as desejemos conquistar. De forma material, nos avanços científicos.
De forma espiritual, fazendo luz, desde agora, na intimidade de nós mesmos, porque, à semelhança dEle, somos luz.
Iluminemos.
Redação do Momento Espírita, com citação
de Gênesis, I: 26.