sexta-feira, 28 de março de 2014

NO CORPO

Há quem menospreze o corpo, alegando com isso honorificar a alma; no entanto, isso é
o mesmo que combater a escola, sob o estranho pretexto de beneficiar o aprendiz.
Leve observação, porém, nos fará lembrar a importância da vida física.
*
Diz-se, muitas vezes, que o corpo é adversário do espírito; contudo, é no corpo que
dispomos daquele bendito anestésico do esquecimento temporário, com que a cirurgia da
vida, nos hospitais do tempo, nos suprime as chagas morais instaladas por nós mesmos, no
campo íntimo; nele, reencontramos os desafetos de passadas reencarnações, nas teias da
consangüinidade ou nas obrigações do grupo de serviço para a quitação necessária de
nossos débitos, perante a lei que nos governa os destinos; com ele, entesouramos, pouco a
pouco, os valores da evolução e da cultura; auxiliados por ele, perdemos os derradeiros
resquícios de herança animal, que carregamos por força da longa vivência nos reinos
inferiores da Criação, a fim de que nos elevemos aos topes da inteligência; integrados nele, é
que somos pacientemente burilados pelos instrumentos da Natureza, ante a glória espiritual
que a todos nos aguarda, no Infinito, na condição de filhos de Deus; e, finalmente, é ainda no
corpo que somos defrontados pelos grandes amores, a começar pela abnegação dos anjos
maternais da Terra, que nos presidem o estágio no plano físico, habilitando-nos para
aquisição dos mais altos títulos da escola da experiência.
*
Meditemos em tudo isso e saibamos ver no corpo a harpa sublime em que a sabedoria do
Senhor nos ensina, século a século, existência a existência e dia por dia, a bendita ciência
do crescimento e da ascensão para a Vida Imortal.