quinta-feira, 1 de maio de 2014

Tende bom ânimo

Quem de nós está isento de dificuldades, problemas e dores ao longo da vida?
Quem consegue atravessar uma existência toda sem momentos de tristeza, processos dolorosos, perdas, angústias ou sofrimentos?
Isso se dá porque as dificuldades e dores, as aflições e tormentos da existência têm uma razão de ser.
Se assim não fosse, Deus, sendo bom e justo, Pai amoroso e ciente de tudo o que nos ocorre, não ofereceria as dores e aflições para o nosso cotidiano.
Entendemos que as dificuldades morais ou físicas, presentes em nossas vidas, fazem parte do processo evolutivo em que nos encontramos.
Ciente disso é que Jesus nos alertou, de maneira clara, que no mundo teríamos aflições. Porém, não esqueceu de nos recomendar bom ânimo para que, como Ele, pudéssemos vencer o mundo.
Este é o grande desafio da existência aqui na Terra: Vencer o mundo.
Naturalmente, se analisarmos a vida apenas como o pequeno espaço que se estende do ventre materno ao túmulo, se tornará difícil entendermos os porquês e razões dos sofrimentos.
Verdade que algumas aflições e dificuldades são próprias de nossas ações impensadas e de nossa imprudência.
Quantos passamos por agruras financeiras apenas por sermos imprevidentes e gastadores contumazes?
Quantos somos daqueles que padecemos doenças e males físicos simplesmente pelo descuido do corpo ou pelos excessos que cometemos?
Entretanto, há um grande contingente de dores que a vida nos oferece que não são consequência de ações do hoje, do agora. Dores que não conseguimos explicar.
Afinal, como entender a dor imensurável de uma mãe despedindo-se do filho que retorna ao mundo espiritual, deixando imenso vazio em seu coração?
Como explicar crianças, em tenra idade, tendo que lutar contra doenças terríveis que lhes minam a saúde, e lhes exigem dolorosos processos de tratamento?
*   *   *
Como Espíritos imortais que somos, sempre retornamos às lides da Terra com lições a serem aprendidas.
E, não raras vezes, esse aprendizado se dá sob o signo do sofrimento e da dificuldade. Não se trata de castigo divino, mas da nossa condição de aprendizes renitentes e teimosos.
Como a Lei Divina é de progresso e melhoria, mesmo os mais teimosos, mesmo os que tropeçamos em outras oportunidades, temos sempre novas chances de aprendizado e de burilamento pessoal.
Assim, as aflições do mundo são oportunidades de resgate e aprendizado.
O que hoje se nos mostra como imensa dor, a ponto de pensarmos que enlouqueceremos, amanhã veremos que foi momento de amadurecimento, de mudança de valores, de conquistas de virtudes.
Por isso, o conselho de Jesus: Tende bom ânimo.
Se hoje a dor nos chega, se estamos sob um maremoto de aflições, armemo-nos de fé, coragem e bom ânimo, entendendo que Jesus será sempre o Bom Pastor, a nos amparar, a fim de que, como Ele, nós também possamos vencer o mundo.
Redação do Momento Espírita.