quarta-feira, 18 de junho de 2014

TEU PRIVILÉGIO

Nos momentos difíceis, - naturais no caminho de todos, - não desperdices o tesouro
das horas com desesperação e abatimento.
Recorda o privilégio que recebeste da vida, - o privilégio de ajudar.
**
É possível que nuvens de desenganos te hajam caído na estrada por aguaceiro de fel;
isso, porém, não te impede levar algum consolo aos que vegetam em catres de sofrimento e
que não tiveram no curso de muitos anos nem mesmo o mais leve sopro de qualquer
esperança.
**
Falas de empeços domésticos que te barram a caminhada para a meta de
determinados desejos; nada, todavia, te impossibilita a condução de apoio, ainda que
mínimo,àqueles companheiros outros que suspiram por liberdade, nos impedimentos das
prisões e dos hospitais.
Referes-te à preocupações que te esbraseiam o cérebro para responder com eficiência
aos desafios do mundo; desfrutas, entretanto, a bênção de poder amparar as criaturas irmãs
que perderam, temporariamente, o equilíbrio mental, segregadas nos manicômios.
Reporta-te a desastres afetivos que te deixaram em lágrimas de saudade; mais possuis
a faculdade de frustrar a solidão ofertando presença e conforto aos irmãos que atravessam a
romagem terrena, em extremada penúria, suplicando migalha de reconforto.
**
Não te abandones ao pessimismo, quando trazes contigo o dom de construir e
recuperar.
Quando tantos companheiros da Humanidade se vêm impedidos de caminhar para a
solução dos problemas que lhe são próprios, considera a tua prerrogativa de caminhar para
socorrê-los. E, se te vês em carência de amor ou alegria, exerce, para logo, o teu privilégio
de compreender e auxiliar.
Quem sustenta, é sustentado.
Quem serve, é servido.
Quem dá, recebe. Essa é a Lei.