domingo, 25 de março de 2012

Os Misteriosos Círculos

Os famosos Círculos Ingleses (também conhecidos como Crop Circles, ou círculos no trigo) são verdadeiras obras de arte, e costumam aparecer em diversas plantações de trigo, cânola e cevada principalmente no Sudoeste da Inglaterra (próximo à Stonehenge), mas já foram relatados milhares casos em todo o mundo, embora cerca de 30% desses desenhos já foram provados que são falsificados. Os estudiosos mais experientes dizem que os círculos falsificados são mais facilmente identificados, pois são realizados de forma irregular, sem a simetria ou a perfeição geométrica dos círculos verdadeiros e ainda ficam repletos de vestígios de quem os fez e de como.
A maior incidência dos círculos ingleses é na Inglaterra, mas eles já foram registrados em mais de 30 nações, inclusive no Brasil.

Cada ano surgem novos desenhos. Em 1994, houve uma proliferação do que se convencionou chamar de “insectogramas”, com figuras na forma de escorpiões, aranhas, teias de aranhas e outros insetos. Em 1995, os padrões pareciam sugerir sistemas solares, cinturões de asteroides e outras figuras planetárias. Em 1993, houve uma incidência de padrões geométricos.

Há relatos da aparição desses desenhos há séculos. O mais antigo deles data de 1500, mas só ganharam força no século passado, mais precisamente nos anos 60 e 70, e aí não pararam mais de aparecer. Somente em 1990, cerca de 500 relatos foram dados na Europa, os tornando uma verdadeira atração turística.

Nos desenhos mais bem elaborados são baseados em equações matemáticas. Segundo Gerald S. Hawkins, a posição das figuras geométricas foram escolhidas com base em cálculos específicos. Em um desenho com um círculo externo e um interno, a área do círculo externo era exatamente quatro vezes a do interno. Essa incrível precisão indica quem os fez possui um conhecimento complexo de geometria Euclidiana.
Nesses círculos, ou em sua proximidade, nunca foram encontrados quaisquer traços ou pistas que indicassem como ou por quem foram feitos. Não há pegadas de pessoas, ou marcas de pneus de veículos (exceto o do trator do fazendeiro), nem sinal de que as plantas em seu interior tenham sido manipuladas por humanos. Simplesmente, os círculos surgem do nada, portando uma mensagem inexplicável e desafiando nossa inteligência e tecnologia.

Quem os fez? Como?

                                          Esse desenho pode ser uma resposta alienígena

Nem mesmo os estudiosos que acompanham os aparecimentos desde o começo da década de 80 possuem uma explicação lógica do fenômeno.
Nos meses de pico, entre maio e setembro (época em que as plantações estão próximas da colheita), milhares de estudiosos de todo o globo se reúnem no sudoeste da Inglaterra atrás de novas figuras, que às vezes chegam a aparecer quase que diariamente, entretanto, ninguém nunca consegui captar o momento em que o desenho esteva sendo feito.

Nenhum vestígio foi encontrado em qualquer círculo validado, a não ser uma certa forma de energia desconhecida ou não catalogada pela Ciência. Esta forma de energia produz uma mudança genética nas plantas afetadas pelo fenômeno, a qual faz com que suas sementes também sejam afetadas.

                                  Veja como o caule é "deformado", mas não chega a se quebrar



Pistas

Uma das coisas que foram descobertas é que o solo adquire uma quantidade anormal de hidrogênio após cada formação de desenho. A única maneira desta quantidade de hidrogênio aparecer assim seria se o solo recebesse uma carga elétrica extremamente forte.  Esses fenômenos possuem muita radiação eletromagnética. Aparelhos como bússolas, câmeras e celulares ficam inoperantes dentro do círculo. Essa área é exposta a uma energia capaz de modificar o DNA e a estrutura molecular da planta sem danificá-la.

Geralmente, esses desenhos surgem próximos ou sobre sítios arqueológicos de milhares de anos de idade. Estes sítios arqueológicos às vezes estão enterrados e os estudiosos só se dão conta de que existem um determinado lugar quando surgem círculos sobre eles.

Alguns desenhos têm aparecido perto de usinas nucleares. Algumas pessoas dizem ter sido afetadas depois de terem pisado dentro de uma destas formações. Alguns estudiosos comprovam estas histórias, como o Dr. Collete M. Dowell. Ele, como outras pessoas, diz que em algumas formações que entrou, se sentiu extremamente ansioso ou agitado. Em outras, se sentiu feliz, bobo ou outras emoções.

A hipótese mais aceita é de que os círculos ingleses são uma obra alienígena, mas muitos cientistas ainda buscam outras explicações. Alguns dizem que existem pessoas pagas pelo governo para assumir a autoria do feito, visando ridicularizar e ocultar a verdade, seja ela qual for. Fato é que temos belíssimas obras que desafiam as leis da lógica e física e intrigam a imaginação humana.



http://misteriosdomundo.com/os-misteriosos-circulos-ingleses