sábado, 4 de fevereiro de 2012

ENERGIA E BRANDURA

Na marcha do dia-dia, urge harmonizar as manifestações de nossas
qualidades com o espírito de proporção e proveito, a fim de que o extremismo não nos
imponha acidentes, no trânsito de nossas tarefas e relações.
Energia na fé; não demais que tombe em fanatismo.
Brandura na humildade; não demais que entremostre relaxamento.
Energia na convicção; não demais que se transforme em teimosia.
Brandura na humildade; não demais que degenere em servilismo.
Energia na justiça; não demais que seja crueldade.
Brandura na gentileza; não demais que denuncie bajulação.
Energia na sinceridade; não demais que descambe no desrespeito.
Brandura na paz; não demais que se acomode em preguiça.
Energia na coragem; não demais que se faça temeridade.
Brandura na prudência; não demais que se recolha em comodismo.
No caminho da vida, há que aprender com a própria vida.
Vejamos o carro moderno nas viagens de hoje; nem passo a passo,
porque isso seria ignorar o progresso, diante do motor; nem velocidade além dos limites
justos, o que seria abusar do motor para descer ao desastre e à morte prematura.
Em tudo, equilíbrio, porque, se tivermos equilíbrio, asseguraremos, em
toda parte e em qualquer tempo, a presença de caridade e paciência, em nós mesmos,
as duas guardiãs capazes de garantir-nos trajeto seguro e chegada feliz.

Emmanuel/Alma e Coração/FCX