domingo, 4 de março de 2012

PROVAÇÕES DOS ENTES QUERIDOS

Não temos pela frente tão-só as nossas dificuldades, mas igualmente as
dificuldades das pessoas queridas, pelas quais, muitas vezes, sofremos muito mais que
por nós próprios.
Forçoso, porém, anotar que, em nos interessando pelo apoio aos entes queridos,
nunca estamos a sós, porquanto Deus, que no-los emprestou ao convívio, permanece
velando sem olvidá-los.
Nos dias de cinza e sombra de provação, doemos aos entes amados o melhor de
nossa ternura, mas evitemos insuflar-lhes pessimismo ou desconfiança, ansiedade ou
inquietação.
Se nos pedem conselhos, não descambemos para sugestões pessoais, e sim,
ajudemo-los a buscar a Inspiração Divina, através da prece, porque Deus lhe conhece as
necessidades e lhes traçará seguro roteiro ao comportamento.
Se doentes, mais que justo, lhe ministremos assistência e carinho; todavia,
empenhamo-nos em guiar-lhes o pensamento para o otimismo, convencidos de que Deus
lhes resguarda a existência em cada batimento do coração.
Se empreendem mudanças em seu próprio caminho, abstenhamo-nos de
interferir nas decisões que assumam, e sim, ao invés disso, diligenciemos abençoar-lhes
os planos de renovação e melhoria, compreendendo que a Divina Providência vigia sobre
nós, orientando-lhes os passos.
Se resvalam em duras provas, trabalhemos por aliviá-los e libertá-los, que isso é
dever nosso, mas sem torturá-los com a nossa inconformidade e aflição, na certeza de
que Deus não está ausente do quinhão de lutas regenerativas ou edificantes que nos
cabem a todos, em certas faixas de tempo.
Auxiliemos aos nossos entes queridos a serem autênticos, como são e como
devem ser perante a vida.
Indiscutivelmente, tanto quanto irrompem problemas em nossa estrada,
problemas outros inúmeros aparecem no campo da ação, daqueles que mais amamos;
no entanto, a fim de ampará-los com eficiência e segurança, atuemos em favor deles, em
bases de equilíbrio de amor, reconhecendo que não estamos sozinhos na empresa
socorrista, de vês que muito antes de nós, Deus estava e continua a estar no caso de
cada um.